filmes
Bete Balanço

“Bete Balanço” foi um marco no cinema nacional, a princípio teve a faixa etária dos 18 aos 20 como público alvo, porém agradou a todos, sendo um estouro de bilheteria no ano de 1984. Outro ponto alto foi a trilha sonora, que destaque para bandas importantes da época, como Barão Vermelho, Lobão e Os Ronaldos, Azul 29, Celso Blue Boys entre outros.

Débora Bloch interpreta a personagem-título, que prestes a completar 18 anos, se cansa do namoro de três anos e de cantar em pequenos bares nos finais de semana da cidade de Governador Valadares e então decide se aventurar no Rio de Janeiro, para procurar uma gravadora que aposte no seu“talento” musical. Aliás foi feito um belo trabalho de fotografia tendo a cidade do Rio como cenário, com suas paisagens paradisíacas.

Chegando ao Rio, procura seu amigo Paulinho, interpretado pelo Diogo Vilela, que a hospeda com a condição de que se mude até arrumar um emprego fixo. Um fato curioso é que toda vez que aparece o personagem Paulinho jogando videogame, temos como trilha sonora a música “Vídeo Game”, da banda Azul 29, uma das primeiras do cenário nacional a utilizar sintetizadores e teclados, tendo como influência bandas como Visage, Ultravox e Kraftwerk.

Bete então parte para a luta e vai atrás do produtor Marco Aurélio, que nunca atende seus telefonemas e em uma das suas buscas por trabalho, presencia um adolescente sendo espancado até a morte por militares, crítica do filme referente à perseguições, pois no ano de lançamento do filme acontecia o movimento civil Diretas Já. No momento do assassinato, Bete e outras pessoas foram flagradas pelo fotógrafo Rodrigo, que com sentimento de justiça, resolve procurar todos pela cidade, consegue achar Bete e acabam se envolvendo amorosamente. Bete se interessa em posar sensual para conseguir alguns trabalhos de publicidade, acontece então o momento “chanchada”, pois mostra a atriz Débora Bloch inteiramente nua.

FICHA

"bete Balanço "
Título original:
Bete Balanço
País/Ano: BRA, 1984
Duração: 74 minutos

Débora Bloch - Bete
Lauro Corona - Rodrigo
Diogo Vilela - Paulinho
Maria Zilda Bethlem - Bia
Cazuza - Tininho
Hugo Carvana - Tony
Arthur Muhlenberg - Deca
Andréa Beltrão - Dançarina
José Joffily
Jorge Laffond
Lobão
Roberto Frejar

Direção: Lael Rodrigues
Roteiro: Lael Rodrigues, Yoya Wursch

Genero:
Comédia/Drama/Musical

Bete Balanço vai percebendo o quanto é difícil entrar no mercado musical, onde as oportunidade giram em torno de interesses e conhecimentos, e acaba se frustrando um pouco, foi outro momento de crítica, dessa vez em relação ao mundo do showbiz. Decide então voltar para Governador Valadares, mas seu novo namorado Rodrigo vai fazer a última tentativa de entregar sua fita demo para um poderoso produtor musical.....

Hoje em dia, quem assiste o filme parece soar como um filme sem atrativos, mas na década de 80 abordou assuntos considerados tabus para a época como homossexualidade, ditadura, comportamento e os anseios da adolescência. Vale a pena tê-lo na coleção...


CURIOSIDADES:

- Foi o último filme do ator Lauro Corona, que veio a falecer de complicações do vírus HIV em 1989.

- Débora Bloch ganhou o prêmio de melhor atriz de 1984 pela Associação Paulista de Críticos de Arte.

- O filme foi o primeiro da "trilogia de Rock dos Anos 80", dirigida por Lael Rodrigues (1951-1989), e que lançou várias bandas da época. Os outros filmes são Rock Estrela (1986) e Rádio Pirata (1987).

 

Carlos Simões


voltar

Favoritos Página Inicial - Recomendar - Cadastre-se para receber a newsletter e participar de sorteios
© Este site 1997-2008 by Projeto Autobahn
Desde 1993, o ponto de encontro dos fãs dos anos 80