filmes
Conta Comigo

 

Conta Comigo é um clássico da Sessão da Tarde

"Não é possível que seja uma obra de Stephen King!!!"

A exclamação é feita por todos que assistem ao filme Conta Comigo (Stand By Me, 1986). O roteiro é adaptado de um conto do autor, que ficou conhecido como o mestre do suspense e do sobrenatural, Conta Comigo é classificado como um drama que traz à tona questões sobre amizade, lealdade, crescimento pessoal, sentimentos de perda...Porém, com uma análise mais detalhada da trama, percebe-se um fator sempre presente nas obras de King: o medo e suas formas. A diferença é que em Conta Comigo, tal sentimento consegue ser mostrado de uma forma mais próxima do cotidiano, conseguindo ser real e poético, dentro de uma narrativa quase autobiográfica.

Stephen King tinha 12 anos quando voltava para casa com um amigo e durante uma caminhada pelas áreas florestais do Estado norte-americano do Maine, encontrou o cadáver de um rapaz da região, que havia desaparecido dias antes. Como um primeiro contato real com a morte, o fato marcou a vida do futuro escritor, que na idade adulta, adaptou tal acontecimento, no formato de conto, chamado "Outono da Inocência: O Corpo" (The Body), lançando no livro As Quatro Estações (Different Seasons, 1982). Tal obra traz histórias voltadas para o drama e questões existenciais. A versão para o cinema de Conta Comigo viria quatro anos mais tarde, sob o comando do diretor Rob Reiner (Lembranças de Hollywood, 1990) e está, até hoje, como uma das melhores adaptações baseadas na obra de King.

No filme, conhecemos quatro amigos adolescentes que aproveitam como podem o final das férias escolares durante a década de 60. O grupo é formado pelo rebelde Chris (River Phoenix), o introspectivo Gordie (Wil Wheaton), o explosivo Teddy (Corey Feldman) e o “nerd” Vern (Jerry O'Connell). Tudo vai dentro da normalidade, até que Vern descobre que um garoto da vizinhança morreu atropelado por um trem e que ninguém sabe exatamente o local onde está o corpo. Partem em uma aventura em busca do cadáver.

 

FICHA

"Conta Comigo "
Título original:
"Stand By Me"
EUA, 1986, 87 minutos.

Wil Wheaton - Gordie Lachance
River Phoenix - Chris Chambers
Corey Feldman - Terry Duchamp
Jerry O'Connell - Vern Tessio
Kiefer Sutherland - Ace Merrill
Casey Siemaszko - Billy Tesio
Gary Riley - Eyeball Chambers
Jason Oliver - Vince Desjardins
Marshall Bell - Mr. Lachance
Frances Lee McCain - Dorothy Lachance
Bruce Kirby - Mr. Quidacioluo
william Bronder - Milo Pressman
Scott Beach - Prefeito Grundy
John Cusack - Denny Lachance
Richard Dreyfuss - Gordie Lachance - adulto / Narrador

Direção: Rob Reiner
Produção: Bruce A. Evans, Raynold Gideon e Andrew Scheinman
Desenho de Produção: J. Dennis Washington
Roteiro: Raynold Gideon e Bruce A. Evans, baseado em livro de Stephen King
Edicão: Robert Leighton Figurino: Sue Moore Fotografia: Thomas Del Ruth Musica: Jack Nitzsche
Genêro: Comedia




O filme nos conduz quase como um quinto integrante do grupo. Com o desenrolar da trama, conhecemos detalhes da vida de cada um e chegamos a conclusão que não tem sido fácil para nenhum deles. Se apegam como podem aos momentos finais de uma infância que parece estar cada vez mais distante, começam a perceber a chegada de um mundo adulto bastante temido. Trata-se da mais forte metáfora que King apresenta sobre o medo que vem com o fim da infância. Em qualquer filme, ou produção literária que tenha como finalidade provocar medo, tal sentimento é transmitido por estímulos externos, como um assassino, um monstro ou algum evento sobrenatural. Em Conta Comigo existe o medo de algo inevitável e do qual não se pode fugir: crescer e aceitar a vida como ela é.

Os garotos vivenciam esse medo de forma intensa e mesmo que tentem se mostrar fortes, são na realidade fracos e não sabem como lidar com tais acontecimentos. O filme possui momentos em que cada um dos personagens encaram seus fantasmas. Chris é o jovem rebelde da trama, mas que durante uma conversa com seu amigo Gordie, retira todas as máscaras e chora compulsivamente, de raiva dos adultos e de como é fraco diante de um. O mesmo Gordie vive com o peso da morte do irmão, que para a família era o filho preferido.

Esse medo é apenas um dos elementos que trabalhado e apresentado dentro de uma forma poética, quase lúdica, acaba passando despercebido, diluindo-se dentro da narrativa. O que nos prende a atenção e faz com que o filme seja tão fascinante é a forma magistral como aborda elementos nobres: a perda da inocência, o valor da amizade e a importância dos pequenos momentos que marcam as pessoas.

O diretor conduz de forma brilhante, alternando momentos de poesia com seqüências de forte apelo emocional. O elenco também possui grande mérito no resultado final. Os quatro garotos estão muito bem nos seus respectivos papéis.

A produção é impecável retratando com fidelidade hábitos e costumes dos anos 60. A trilha sonora é um quesito especial em Conta Comigo, repleta de hits da época, que conta com a canção tema: Stand By Me, de John Lennon, na voz de Ben E. King.



O ponto alto no longa é sua mensagem final. A importância da amizade geralmente só é encontrada quando essa deixa de existir. E encontrar amizades sinceras, como as que temos quando jovens, fica cada vez mais difícil. O modo como isso é passado é altamente tocante, com situações que colocam as amizades a prova, com um forte fator ao seu favor: é praticamente impossível não se identificar com qualquer uma delas. Em uma das frases mais marcantes, o então adulto Gordie (Richard Dreyfuss), define: "Amigos nas nossas vidas são como garçons em restaurantes. Sempre passam, porém, alguns demoram mais do que outros".
Mesmo que não tenhamos vivido algo parecido, a força de nos sentir crianças como os personagens dá ao longa uma vida universal, fantástica e profundamente tocante.

Fica então a pergunta: por quê você, que talvez admire Stephen King pelos filmes de mistérios, temas sobrenaturais, terror e suspense deve assistir Conta Comigo? Simples: pelo motivo de além de ter uma excelente história, também consegue trabalhar de forma real o medo que habita em cada um de nós. É um filme sensível que nos toca sutilmente. Consegue ser uma produção com vários significados e diferentes leituras. Por isso agrada desde 1986, tornando-se um clássico. Trata-se de um filme humano, sobre valores reais... É diversão garantida!!! Uma obra-prima dos anos 80 que nos permite chegar o mais perto que podemos de sermos crianças novamente.


Curiosidades:

- Recebeu uma indicação ao Oscar, na categoria de Melhor Roteiro Adaptado.

- Recebeu 2 indicações ao Globo de Ouro, nas categorias de Melhor Filme - Drama e Melhor Diretor.

- Recebeu 3 indicações ao Independent Spirit Awards, nas seguintes categorias: Melhor Filme, Melhor Diretor e Melhor Roteiro.

- O ator Corey Feldman e o diretor Rob Reiner testaram mais de 30 diferentes risadas para o personagem Teddy Duchamp, a fim de que ela se parecesse o máximo possível com a descrição apresentada no livro de Stephen King.

- Os nomes de todas as cidades citadas em Conta Comigo, com exceção de Castle Rock, são homenagens a lugares reais do estado norte-americano do Maine, onde Stephen King viveu quando criança.

- O orçamento de Conta Comigo foi de US$ 8 milhões.

- Em meio a deslumbrantes paisagens e uma poderosa trilha sonora, vemos alguns rostos bastantes conhecidos de filmes da época e alguns mais famosos ainda nos dias de hoje. Corey Feldman saiu diretamente de um outro filme infantil importante, Os Goonies, para Conta Comigo e River Phoenix viveu alguns anos depois o jovem Indiana Jones em Indiana Jones e a Última Cruzada, alguns anos antes de falecer de overdose por causa de seu problema com as drogas, com apenas vinte e três anos de vida, nos braços do irmão hoje famoso Joaquin Phoenix

- Um dos destaques do elenco é Kiefer Sutherland, hoje bem mais conhecido como o valentão Jack Bauer da série 24 Horas. Aqui é apenas um dos seus vários papéis que comprovam a fama de bad boy do astro, que dizem que se confirma na vida real. Outro que tem uma participação um pouco menos perceptível é John Cusack, astro de filmes como O Júri e Identidade, fazendo o falecido irmão de Gordie. Com bem mais destaque, porém, temos um Richard Dreyfuss já bastante famoso depois de participar de duas obras-primas de Steven Spielberg (Tubarão e Contatos Imediatos do Terceiro Grau) fazendo apenas uma pequena participação como Gordie adulto.


Karina Gercke e Carlos Simões


voltar