Media  |
Fale  |

Filmes
O Último Imperador

 

FICHA

"O Último Imperador"
Título original:
"The Last Emperor"
EUA, CHINA - 1987, 163 minutos.

Elenco:
John Lone - Pu Yi - Adult
Joan Chen - Wan Jung
Peter O'Toole - Reginald 'R. J.' Johnston
Ruocheng Ying - O Governador
Victor Wong - Chen Pao Shen
Dennis Dun - Big Li
Ryûichi Sakamoto - Amakasu
Ric Young - Interrogador
Vivian Wu - Wen Hsiu
Cary-Hiroyuki Tagawa - Chang

Diretor:
Bernardo Bertolucci
Escritores:
Mark Peploe, Bernardo Bertolucci, Enzo Ungari e Henry Pu-yi
Produtores:
John Daly, Franco Giovale, Joyce Herlihy e Jeremy Thomas
Música:
David Byrne , Ryûichi Sakamoto e Cong Su
Fotografia:
Vittorio Storaro
Edição:
Gabriella Cristiani
Direção de Arte:
Maria-Teresa Barbasso, Gianni Giovagnoni e Gianni Silvestri

Distribuidora: Columbia Pictures
Gênero: Biografia, Drama, História

Considerado um dos filmes mais importantes dos anos 80, “O último imperador” foi um marco no cinema, pois foi o primeiro filme que retratou a vida do último imperador da China na cidade proibida. Vencedor absoluto em 1988 de 9 Oscar, “O último Imperador” foi dirigido pelo famoso diretor Bernardo Bertolucci que nos traz a história de Pu Yi, o último Imperador da China, e sua trágica vida. Irei fazer uma breve descrição deste filme que demonstra basicamente o declínio do Império Chinês.

O filme começa com o então ex-Imperador Pu Yi em idade avançada, por volta da década de 60, trabalhando em um jardim local como jardineiro e, através de flashes, relembra a sua trajetória desde pequeno quando era Imperador até o presente. Em 1908, com apenas 3 anos de idade, o herdeiro do trono Chinês Pu Yi se tornou Imperador na “Cidade Proibida” e o que podemos ver nessa parte é o pequeno Pu Yi se tornar a pessoa mais importante da nação, sem ter a menor noção disso. Em 1912, uma revolução surge no País, trazendo a república para o poder e ele acaba sendo deposto.

Durante esse período e sem saber do golpe, passa a adolescência confinado no palácio dentro da cidade proibida em Pequim tendo uma vida de luxo e segurança, sem contato nenhum com o meio exterior. Após a invasão japonesa na China, Pu Yi, então com 24 anos, é obrigado a abandonar a cidade, vivenciando a vida exterior além do palácio e se alia aos japoneses, tornando-se um imperador fantoche em Manchukuo entre 1932 e 1945.


Nesse período torna-se um playboy e conhece a vida e os vícios da sociedade, totalmente diferente da vida que tinha no palácio. Com a derrota japonesa, é capturado pelos soviéticos em 1945, vivendo no presídio em Gulag até 1949, quando é entregue para a China como criminoso de Guerra. Após isto é levado para um presídio para reeducação na China onde fica preso até 1959.

Após esse período, passa a viver como um cidadão comum em Pequim, trabalhando como jardineiro no jardim botânico. Nesse ponto, o filme retorna ao ponto inicial, quando ele começa a pensar em sua vida e a escrever sobre ela.

O filme é na verdade uma biografia da vida do Imperador e do período turbulento pelo qual o mundo enfrentou no início do século XX. Uma das curiosidades do filme é que foi o primeiro longa-metragem a ter autorização do governo chinês para filmagem na cidade proibida.





Prêmios:

- Oscar: Esta superprodução venceu nove Oscar em 1988 nas categorias de melhor filme, melhor diretor, melhor fotografia, melhor direção de arte, melhor figurino, melhor montagem, melhor trilha sonora, melhor som e melhor roteiro adaptado.

- Prêmio Eddie: Venceu na categoria de “melhor filme editado”.

- Globo de Ouro: Venceu nas categorias melhor filme-drama, melhor diretor, melhor roteiro e melhor trilha sonora.

- Bafta: Venceu nas categorias de melhor filme, melhor figurino e melhor maquiagem.

- Grammy: Venceu na categoria de melhor álbum instrumental composto para o cinema.

Além desses prêmios, “O último imperador” venceu diversos prêmios em todo o mundo, tornando esse filme um fenômeno na época de seu lançamento.

Vale a pena assistir este filme que é considerado uma superprodução dos anos 80, não somente por causa da riqueza de detalhes em que são mostradas as cenas, mas também por abordar o fim de uma Era centenária para os chineses que foi o Império Chinês.

Curiosidade:

Foi o primeiro longa-metragem a ter autorização do governo chinês para filmagem na cidade proibida.

O filme teve a participação musical de Ryuichi Sakamoto, membro da Banda Yellow Magic Orchestra e de David Byrne do Talking Heads.

 


Reynaldo Rivero

e