filmes
Brinquedo Assassino

 

Brinquedo Assassino é uma original e criativa mistura de terror e suspense com conceitos absurdos e em muitos momentos cômicos que quase transformaram a produção em mais um produto da leva de filmes 'trash' dos anos 80. Em uma época onde o gênero terror estava em alta com seus vampiros e assassinos como Freddy Krueger e Jason Voorhees, o diretor Tom Holland (que em 1985, dirigiu o consagrado A Hora do Espanto) criou Chucky, o símbolo da mais pura ingenuidade infantil, mas com uma mente assassina e perversa.

Numa noite, um assaltante chamado Charles Lee Ray está sendo perseguido pela polícia e entra em uma loja de brinquedos para poder se esconder. Baleado por um policial quando tentava fugir e à beira da morte, ele decide, através da magia negra e um ritual de voodoo, transferir sua alma para a primeira coisa que encontra pela frente: um boneco Good Guy, o "Bonzinho".

Algum tempo depois, chega o natal! A mãe de Andy Barclay dá de presente para seu filho de 6 anos o que ele tanto queria, assim como a maioria das crianças: um boneco. Mas, o que ninguém imagina, é que aquele não é apenas mais um Bonzinho como tantos outros. A alma do bandido está naquele objeto e agora, o boneco não apenas "cria vida", mas promete vingança e libertação daquele corpo de plástico.

Chucky tem planos e objetivos que vão mais além. Ele precisa transferir a sua alma para a primeira pessoa que descobre seu segredo - Andy - e tem que fazê-lo o mais rápido possível, pois com o passar do tempo, o corpo de plástico começa a se tornar humano. Se ele não fizer isso rápido, sua alma ficará para sempre presa no corpo de um boneco..

FICHA

"Brinquedo Assassino"
Título original:
"Child's Play"
EUA, 1988, 87 minutos.

Catherine Hicks - Karen Barclay
Chris Sarandon - Mike Norris
Alex Vincent - Andy Barclay
Brad Dourif - Charles Lee Ray / Voz de Chucky
Dinah Manoff - Maggie Peterson
Tommy Swerdlow - Jack Santos
Jack Colvin - Dr. Admore
Neil Giuntoli - Eddie Caputo
Juan Ramirez - Peddler
Alan Wider - Sr. Criswell
Raymond Oliver - Dr. Morte

Direção: Tom Holland
Produção: David Kirschner
Roteiro: Don Mancini; John Lafia; Tom Holland
Musica: Joe Renzetti
Fotografia: Bill Butler
Figurino: April Ferry
Edicão: Roy E. Peterson; Edward A. Warschilka
Producao Executiva: Barrie M. Osborne
Desenho de Producão: Daniel A. Lomino
Distribuidora: MGM
Genêro: Terror




Ao descobrir tudo, o menino tenta contar para a sua mãe, mas obviamente, ela não acredita nele, afinal, quem acreditaria em um brinquedo assassino? Ela somente tem provas de que o filho está falando a verdade quando Chucky tenta matá-la. Então, eles passam a contar com a ajuda de um detetive para acabar de uma vez com a ameaça encarnada no corpo do "inocente boneco".

Com um baixo orçamento e idéias tão ousadas, o sucesso de Chucky foi uma surpresa até mesmo para seus produtores. A história que brinca com o imaginário dos adultos e apavora as crianças, virou um fenômeno cult mesmo quase duas décadas depois da sua produção.

O sucesso foi tão estrondoso que mais quatro filmes vieram depois deste, incluindo A Noiva de Chucky e O Filho de Chucky; estes dois não foram tão bem sucedidos quanto o primeiro. As duas seqüências (Brinquedo Assassino II e III), tinham um tom mais irônico e sarcástico e perpetuaram o mito do boneco, sem dúvida, um dos personagens mais homicidas e ardilosos do cinema.

A Academy of Science Fiction, na categoria Fantasy & Horror Films, reconheceu o potencial do filme e, em 1989, indicou "Brinquedo Assassino" para quatro prêmios, incluindo Melhor Filme de Horror, levando apenas o troféu de Melhor Atriz, para Catherine Hicks.

O boneco de macacão azul faz parte da cultura de terror e ainda continuará agradando adultos e crianças, mesmo que por motivos diversos. Vida longa, Chucky!

 

Curiosidades:

  • O nome completo do personagem Chuck é Charles Lee Ray, resultado da combinação dos nomes de três grandes assassinos: Charles Manson, Lee Harvey Oswald e James Earl Ray.

  • Oito especialistas em marionetes foram usados para dar vida ao boneco Chucky, muito antes dos efeitos digitais por computador tornarem-se comum.

  • Na cena final, em que o boneco caminha em chamas - impossível de ser feita com marionetes (os fios iriam queimar) -, foi chamado o dublê anão Ed Gale para vestir-se com uma roupa anti-chamas e caminhar pegando fogo.

  • Nos quatro filmes, a voz de Chucky é feita por Dourif, que nos anos 70 foi indicado ao Oscar pelo seu trabalho em Um Estranho no Ninho.

  • No roteiro original, a babá de Andy deveria morrer eletrocutada por Chucky durante o banho, cena aproveitada em A Noiva de Chucky, quarto filme da série.


    Premiações:

  • Prêmio Saturno 1990 (Academy of Science Fiction, Fantasy & Horror Films, EUA), na categoria de Melhor Atriz (Catherine Hicks).

  • Indicado nas categorias de Melhor Filme de Horror, Melhor Atuação de um Ator Jovem e Melhor Roteiro.

    Sheyla Campos


  • voltar